A seguir, relação das partes de plantas que podem ser utilizadas, conforme as respectivas indicações de benefícios, para chás, remédios caseiros, temperos, alimentação e fabricação de produtos naturais:

– Alga

– Arilo

– Baga ou bago

– Brácteas

– Brotos

– Bulbos

– Casca

– Casca da raiz

– Casca de cipó

– Casca do tronco

– Caule (Tronco, parte aérea de sustentação de outras partes)

– Caules estéreis (ou estéries)

– Cipó

– Estigmas secos da flor

– Flores

– Flores frescas

– Folha sem o pecíolo (sem haste)

– Folhas frescas

– Folhas secas

– Fruta

– Fruto

– Gema (botão, broto)

– Haste (Pecíolo)

– Hastes floridas

– Inflorescência (Flores)

– Látex

– Óleo de semente

– Óleo essencial

– Óleo extraído do tronco

– Parte aérea

– Planta inteira

– Planta inteira sem as raízes

– Pseudofruto

– Raiz

– Raiz tuberosa

– Ramos

– Rizoma

– Semente

– Semente torrada

– Sumidade florida – (Últimas folhas e/ou flores na parte mais alta da planta)

– Talo

De todas as partes acima citadas, as mais usadas para chás são as folhas secas e as frescas, de acordo com cada tipo de planta, incluindo ou não as flores, hastes e talos junto com as respectivas folhas, com destaque para a folha seca picada que predomina nos tempos atuais. Isso se explica pelo fato de grande parte da população ser urbanizada, não dispondo daquela antiga facilidade de colher, a qualquer hora, as folhas frescas no quintal e também pela facilidade de estocagem e oferta comercial das folhas secas em todas as épocas do ano. Muitas partes secas de plantas, além das folhas, tais como as flores, sementes, cascas, etc., são disponibilizadas no comércio com prazo de validade de até um ano.

A quantidade de folhas secas picadas a ser utilizada na elaboração de um determinado tipo de chá, usualmente, é considerada pelo peso em gramas ou simplesmente pela quantidade de colheres (tipo sopa) contendo as pequenas partes da planta.

Em cada colher (tipo sopa) cabem aproximadamente 2 gramas de folhas secas picadas ou 5 gramas de folhas verdes (frescas) picadas, lembrando que as secas são mais leves que as verdes. As folhas verdes, além de picadas, podem ser pesadas inteiras (gramas) ou serem consideradas pela quantidade de folhas inteiras. Exemplo: usar duas folhas verdes tamanho médio, ou três folhas frescas tamanho pequeno, etc. As folhas secas são difíceis de serem encontradas inteiras no comércio, porque normalmente são embaladas já picadas. As folhas secas inteiras são facilmente fragmentadas durante o respectivo manuseio ou transporte.

Quanto às porções de folhas picadas, na elaboração de cada chá, predomina o uso popular daquelas cujo total está abaixo de 20g para até um litro de água fervida. Na dúvida entre receitas semelhantes, mas de pesos diferentes das folhas, é recomendável optar pela de menor dosagem. As indicações, em geral, se destacam pelo uso de duas ou três colheres (tipo sopa) de folha seca picada, para até um litro de água, de acordo com cada tipo de receita.

Na literatura antiga sobre chás são encontradas muitas receitas com altas doses de folhas frescas ou secas, como por exemplo: 20g, 30g, 40g, 50g, etc. para cada litro de água fervida. É preciso observar que há casos altas dosagens que se referem a chás de aplicações externas, e não chás de se tomar. Nos chás a serem bebidos, no caso de altas dosagens, é preciso se informar se a planta a ser utilizada tem alta toxicidade, e se a mesma deve ser evitada. Em casos assim, na dúvida, é possível achar outras plantas substitutas que sabidamente não apresentam riscos, de acordo com os conhecimentos tradicionais de uso de chás caseiros.

 

Ver também os assuntos “Usar folhas frescas ou secas para fazer um chá?” e “O Uso Caseiro de Folhas Frescas ou Secas de Plantas Medicinais”, neste mesmo site.

Faça seu comentário no campo abaixo. Participe:

Leave a Reply

Your email address will not be published.