Na elaboração de um chá de planta medicinal, o princípio ativo é extraído da parte da planta utilizada (folha, raiz, casca, etc.), através da fervura da água. O princípio ativo é a parte boa da planta que traz benefício para a saúde através do chá.

Na maioria das receitas de chás, recomenda-se que ao ferver a água, logo no início da fervura, ao borbulhar, fazendo bolinhas, em ebulição, que se desligue o fogo e que se tampe a vasilha enquanto se aguarda esfriar para tomar a primeira dose do chá.

A água pode ser fervida junto com partes mais duras, tais como, raiz ou casca, por exemplo, ou só a água, sem nada junto, colocando-se em seguida a água fervida em outra vasilha sobre as partes da planta, tais como, folhas picadas, flores, etc. Ou ao contrário, pode colocar as folhas picadas, por exemplo, em cima da água fervida já colocada em outra vasilha.

É nesse ponto que surge a pergunta que muitas pessoas fazem: por que tampar? Se já está bem quente, por que abafar ainda mais?

Recomenda-se tampar o recipiente, no caso de folhas ou outras partes frescas (verdes) abafando o chá por até 10 minutos, na fase final de sua elaboração, para se evitar a volatização (evaporação) das propriedades terapêuticas proporcionadas pelo princípio ativo existente na parte em uso da planta. Em outras palavras, o chá pode perder um pouco de sua eficácia se a vasilha ficar destampada quando se tratar de ervas frescas. Por isso, é conveniente sempre tampar o chá quente logo após a sua elaboração.

No caso de ervas secas, se não tampar, a perda de eficácia seria mínima ou quase zero, dando praticamente na mesma tampando ou não.

Os chás são considerados como alimentos naturais, saudáveis e benéficos para saúde, quando consumidos adequadamente.

Conheça mais de 6.000 tipos de receitas de elaboração de chás caseiros no site www.chasdeplantasmedicinais.com.br, onde se encontram também diversas orientações gerais complementares e extensa bibliografia.

Faça seu comentário no campo abaixo. Participe:

Leave a Reply