As folhas representam 39% das partes utilizadas das plantas na elaboração de chás. Portanto, o mais comum é elaborar chás utilizando somente as folhas de uma planta. Além das folhas, existem pelo menos mais 30 outras partes da planta que podem ser utilizadas na elaboração de chás.

Há receitas que orientam elaborar o chá misturando as folhas com os talos (hastes) e, em alguns casos, juntando também as flores, os brotos e a casca do caule. Nesses casos, significa utilizar a parte aérea da planta. Cada um dos itens acima citados pode ser utilizado individualmente ou em conjunto, de acordo com as características de cada planta.

Exemplos:

  • Alfafa (folhas, flores e brotos)
  • Chambá (toda parte aérea)
  • Cipó-cabeludo (folhas, talos e caule)
  • Mão-de-Deus (folhas, flores e talos)
  • Velame-do-campo (toda parte aérea)

Quanto ao uso individual de flores e/ou botões, costuma-se ter indicação na receita do chá para se utilizar a flor ou a parte florida. Quando a indicação se refere à sumidade florida, quer dizer que é para dar preferência às flores que ficam na parte mais alta da planta. Essa opção, na prática, é válida somente para quem tem acesso direto à planta no quintal ou no campo.

Exemplos:

  • Alfazema (parte florida)
  • Cardo-santo (parte florida)
  • Erva-cidreira (sumidade florida e folhas)
  • Melissa (sumidade florida)
  • Orégão ou Orégano (sumidade florida)

Definição de sumidade, conforme nosso glossário: “No caso de plantas, as sumidades são as suas pontas ou extremidades, com as últimas folhas e/ou flores na parte mais alta”.

Quanto aos talos (hastes) dificilmente são utilizados isoladamente nos chás.

Quando se compra as partes secas de uma planta, no comércio especializado, geralmente são fornecidas exclusivamente as folhas picadas, ou conjuntamente as folhas e os talos secos e picados. Em alguns casos podem acompanhar as flores secas. Os fornecedores estão cientes da viabilidade dessas misturas

Para a utilização de folhas e/ou outras partes da planta na condição de frescas (verdes), apanhadas no quintal ou no campo, a quantidade a ser consumida deve ser aproximadamente o dobro da quantidade quando seca. É preciso verificar em receitas de chás os tipos que podem ser misturados e a dosagem adequada. Por exemplo, não é comum misturar raiz com folhas, ou frutos com caule, etc. As possíveis misturas de partes são baseadas no conhecimento dos princípios ativos e propriedades terapêuticas de cada planta.

Na dúvida, se mistura ou não, é melhor utilizar uma parte da planta de cada vez e na menor dosagem possível. Para tratamento de saúde, não deixe de consultar um médico.

Faça seu comentário no campo abaixo. Participe:

Leave a Reply